quinta-feira, 20 de julho de 2017

Delicia de Releitura!!

O Meu pé de Laranja Lima

Autor:  José Mauro de Vasconcelos

Ed. Melhoramentos - 29ª ed - 1978

Estava eu em uma feira de troca quando me deparei com este livro. Foi uma emoção tremenda pois acho que a edição que li era mais antiga (não que eu seja velha demais rsrsrs). Me lembro que gostei muito, assisti a novela, ao filme, e sempre chorava. Agora não foi diferente; reli e chorei novamente.


RESENHA


O livro conta a estoria de um menino de 5 anos, filho de uma mãe que trabalha muito para sustentar a casa e de um pai que para esquecer que não consegue emprego, bebe. Zezé é um menino inteligente e esperto que logo percebe a dor de não ter nada. A estória se inicia no Natal, uma data triste para uma criança que nunca ganha nada. Ele tem muita imaginação e quando tem de se mudar para uma casa menor encontra, nos fundos, aquele que vai ser seu melhor amigo: um pequeno pé de laranja lima. Com ele Zezé consegue expor as emoções e ser livre como sempre quis. Durante uma brincadeira na rua ele é atropelado e conhece um outro grande amigo, o qual coloca no lugar do pai que nunca teve. Com esse novo amigo ele se sente amado e aprende o que é amizade de verdade. Mas a vida é cheia de caminhos tortuosos e Zezé ainda vai sofrer mais uma grande dor...
Bom não vou contar o final,nem adiantar mais do que isso. Fica a dica para que todos leiam esse clássico e aprendam a importância que o carinho, a paciência e a compreensão tem na vida de uma criança e a ajuda a ser um adulto mais feliz. O livro é mais um poema do que um romance. Ele trata bem da alma humana e de seus sentimentos.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

DIA DO ROCK

Resenha
Titulo : John
Autor : Cymthia Lennon
Editora: Larousse


                                    💀💀💃

Comemorando hoje o dia do Rock, um dia glorioso para muitos, indico a leitura desse livro muito gostoso. Quem escreve é, nada mais nada menos que a 1ª esposa de John Lennon. Cynthia o conheceu ainda menina, na escola e se apaixonaram. Juntos eles conheceram a fama e a dor do amor. Tiveram um filho, Julian, e se separaram em circunstâncias muito comentadas pela mídia.  Eu adorei saber como foi a vida de Lennon desde a adolesacencia, quando ainda nem passava por sua cabeça a fama que iria acontecer tão de repente. Creio que é uma bela história para se ler no dia do Rock.

INDICAÇÕES PARA MENINAS E MÃES

   Tenho visto muitas meninas de 12, 13 anos pedindo indicações de livros para iniciar no mundo da leitura. Eu tenho uma filha de 17, que é leitora desde sempre, então tenho uma certa experiência com todas as idades. As meninas de 12, 13 anos, e até um pouco mais vão amar a coleção de livros editados pela Fundamento:


  "GO GIRL" São livros que falam das dúvidas que toda garota tem nessa idade; amizade, passeios, meninos e muito mais. Eu comprei um para minha filha e ela amou. Depois tive que comprar a coleção toda rsrsrs. Por um lado muito gasto, mas por outro muita leitura boa. Lemos juntas e discutimos todos os assuntos.É muito bom ter alguém com quem comentar as impressões que você teve de um livro, e com isso eu consumia a minha leitura e a dela, e gostava muito. 


Outra coleção muito boa, também da Fundamento é : 


  "QUERIDO DIÁRIO OTÁRIO". Essa coleção, inclusive virou filme. Também fala dos problemas da idade, aqueles problemas que estão mais na cabeça do que na realidade. As coisas que não dão certo, que achamos que nunca ninguém vai gostar da gente, nunca vamos ser convidadas para aquela festa, aquele mico que ninguém vai esquecer e muitas outras angústias. 



Eu adorava dividir com minha filha esses momentos em que ela se sentia a própria personagem.No final de cada leitura e conversa eu notava que ela saia mais fortalecida, mais confiante em si mesma. São livros para se ter e dividir a leitura com amigas, com irmãs e até mesmo com pais. Nessa idade, iniciante à leitura, não é muito interessante começar com algo pesado, palavras fora de seu vocabulário, porque isso vai fazer com que se canse muito rápido e pode terminar ali mesmo o maravilhoso vício da leitura. Convém ler algo que faz parte de seu cotidiano e ir aos poucos aumentando a dificuldade. Bom espero que essa minha experiência possa ajudar as meninas e as mães no quesito 'passar horas agradáveis lendo'.



domingo, 9 de julho de 2017

Expectativa e Realidade.

RESENHANDO:

Livro: O Regresso.
Autor: Sergio Santos




   A gente sempre pensa que é fácil ter um livro lançado para o público. Não é. Esse livro, de um professor acreano foi lançado graças a Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Ele já tem mais alguns livros lançados, e outros em projeto. Além de romance também escreve contos e poesias. Conheci este livro através de um projeto do Sesc de troca de livros. Quando vi o nome do romance e li a sinopse me interessei e troquei. Demorou um pouco para eu pegar com jeito, mas quando comecei não consegui parar.
   O Romance é muito bom, e é dividido em livros. Conta a vontade de uma mãe de 4 filhos em reuni-los novamente depois de adultos, antes que uma doença muito séria a leve. Cada parte do livro é narrada do ponto de vista de um dos filhos.  Ali eles vão se reencontrar com sua infância e olhar de frente para seus segredos e medos. Luis, o filho mais velho narra o primeiro livro, vindo depois Lorena, Luciano e por último e não menor em segredos, Luana, a mais jovem. Conflitos existentes na juventude que deixaram feridas não cicatrizadas e nunca esquecidas. Será que o amor dessa mãe doente, a casa onde dividiram metade da vida e o amadurecimento vai ser capaz de uni-los novamente? É um livro que vai nos prendendo a cada página, a cada confissão.
   O apoio aos jovens escritores é de extrema importância para a literatura nacional, mas devemos ressaltar aqui que falta muito para melhorar. O livro tem uma péssima revisão, com muitas palavras erradas e fora de lugar. Há trechos que ficam incompreendidos e temos que parar para pensar o que o autor quis escrever. Quero crer que depois de 2010, quando o livro foi publicado, as coisas melhoraram. Apesar desses erros, eu aplaudo a iniciativa e espero encontrar mais e mais autores podendo nos mostrar estórias bonitas como essa. Ao Professor Sergio meus parabéns pelo livro e por continuar sempre lutando para que mais e mais pessoas escrevam e leiam nesse nosso país.













domingo, 25 de junho de 2017

Clutch de festa


Esta clutch fiz para uma cliente muito chic. Ela precisava de uma bolsa castanha para um casamento. Espero que goste tanto quanto eu gostei.

terça-feira, 20 de junho de 2017

São tantos "por quês"...





Resenha do livro: Reconstruindo Amelia 
autora: Kimberly McCreight
editora : Arqueiro - 2014

Kate era uma advogada que trabalhava muito para cuidar de sua filha Amelia. Era um dia normal, até que Kate recebe um telefonema da escola dizendo que Amelia estava suspensa e ao chegar na escola para buscá-la recebe a noticia que a filha havia se suicidado pulando do telhado. Alguns dia depois ela recebe uma mensagem anônima dizendo que Amelia não havia pulado. A partir dali começa a busca de uma mãe pela verdade. O que aconteceu com a filha realmente?, quem seria o culpado?. Kate começa a vasculhar o telefone e as redes sociais da filha para entender como Amelia chegou a isso. Nessa busca ela conhece uma outra Amelia, descobre coisas da filha que nunca nem sonhou e com isso vai montando um quebra cabeça intrigante. Sabe aquelas estórias que começamos a ler e já sabemos que o mordomo é o culpado? Este livro me surpreendeu; cada vez que eu imaginava que fosse um, ele me levava para outro lado. Só descobri o final, no final... Acho que todos deveriam ler, tanto mães, como filhos adolescentes que passam por momentos de não contarem tudo para os pais. A vida é cheia de conflitos e, por mais que nós quando adolescentes queremos resolver do nosso jeito, sempre tem alguém que podemos confiar e ouvir a opinião.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Livro X Cinema



Oi pessoal.
Uma coisa que costo tanto quanto livros é o tal do cinema. Na primeira vez que fui ao cinema, levada por meu irmão mais velho, saí encantada com tanta beleza e mistério. Me lembro como se fosse hoje; o filme era Os Flintstones. Um desenho que até hoje eu gosto muito. Eu ficava imaginando como é que eles ficavam atrás daquele pano. Bom, isso faz tempo rsrsrs. Muitas vezes o cinema pareceu morrer, mas logo se reerguia. Hoje está mais atual que nunca, com as adaptações dos livros que nos fascinam.    Um filme muito crítico foi Laranja Mecânica uma adaptação do livro de Anthony Burgess, filmado pelo grande diretor Stanley Kubrick . Esse filme foi proibido no Brasil por muito tempo e quando foi liberado todos nós, jovens, estavamos ansiosos por assistir.  Ele narra a estória de Alex, um adolescente e sua gangue que passam o dia se drogando e cometendo crimes horríveis até serem pegos pela polícia. Alex é levado a passar por experimentos que acabariam com sua violência. Depois de ter sido 'transformado' pelos cientistas ele é solto e, sem a capacidade de escolha, que o Estado lhe tirou, ele acaba sendo alvo de todas as vinganças pelo seu comportamento anterior. Muito tempo depois de assistir ao filme comprei o livro e posso dizer o quão difícil me foi ler. A linguagem do livro com gírias das gangues é um choque, uma sensação de não entender nada. No final do livro existe um glossário para traduzir as palavras. Não sei qual foi mais chocante: o filme ou o livro, pois é de uma violência extrema, mas recomendo para aqueles que tem curiosidade pelo funcionamento da mente. Na verdade, apesar de ter gostado muito do livro, achei o filme mais fácil de entender. Volto a dizer, não é um livro para qualquer leitor, pois é muito conflitante e violento.    

Por outro lado, o cinema, hoje, nos traz imagens do que já havíamos sonhado com tantos livros. O que era apenas nossa imaginação, de repente pula para uma tela enorme, muitas das vezes em 3D e pensamos: 'era exatamente assim que eu imaginava'. O mistério, o suspense, a comédia e principalmente o amor, hoje lotam salas cinematográficas e fazem nossa mente viajar para mais perto de nossos 'crushes', nos arrebata para dentro da estória e nos faz sonhar e refletir. Vamos ler muito pessoal, mas também vamos ao cinema sempre...